cbd e parkinson
9 min.

Update:

A doença de Parkinson não é uma condição incomum, estudos apontam que ela aparece em segundo lugar entre as doenças neurodegenerativas mais comuns, atrás do Alzheimer. Somente nos Estados Unidos, existem até 60.000 novos casos a cada ano.

O que é a doença de Parkinson?

É um distúrbio no sistema nervoso central. Os sintomas se iniciam de forma gradual e afetam principalmente os movimentos do portador. A doença caracteriza-se por rigidez e tremores nos membros, assim como desequilíbrios e perda de controle muscular. Com o decorrer do tempo, o paciente perde também a capacidade de falar e até mesmo andar. Parkinson não tem cura, e o que se sabe é que os médicos costumam sugerir procedimentos cirúrgicos aos pacientes para regularizar algumas regiões do cérebro a fim de retardar os sintomas.

Sintomas da doença de Parkinson

  • Tremores – uma tremedeira, que geralmente começa em um membro, sendo mais provável na mão ou nos dedos.
  • Mudanças na fala – você pode falar baixo, muito rápido ou de forma hesitante.
  • Alterações na escrita – pode ser mais difícil escrever e a sua escrita pode se tornar menor do que o normal.
  • Perda de movimentos automáticos – você pode ter uma capacidade reduzida de executar movimentos inconscientes, como piscar, sorrir ou mover os braços enquanto caminha.
  • Movimentos lentos (bradicinesia) – com o tempo, a doença de Parkinson pode retardar seus movimentos, dificultando e consumindo tempo em tarefas simples.
  • Músculos rígidos – a rigidez muscular pode ocorrer em qualquer parte do seu corpo.
  • Postura e equilíbrio prejudicados – sua postura pode ficar curvada ou você pode ter problemas com equilíbrio.

Por que o CBD pode funcionar no tratamento da doença de Parkinson?

A idéia do CBD para tratar ou controlar os sintomas da doença de Parkinson ainda é uma novidade para muitas pessoas. Contudo, as evidências mais recentes demonstram que CBD pode de fato tratar parte dos sintomas associados ao Parkinson, como psicose, distúrbios do sono e os movimentos prejudicados.

O CBD é uma substância extraída da cannabis e transformada em óleo. A planta de cânhamo tem o Canabidiol e o Tetrahydrocanabinol (THC) como dois de seus principais componentes. O óleo CBD é extraído de plantas de cânhamo com uma alta concentração de canabidiol e uma concentração mais baixa de seu componente psicoativo, o THC. É por isso que o CBD é eficiente no tratamento sem agir de modo psicoativo.

O sistema endocanabinóide em nossos corpos luta contra o estado corporal exterior, mantendo um equilíbrio interno, regulando o humor, o apetite, a temperatura, etc. Os principais receptores canabinóides localizados em todo o corpo são chamados CB1 e CB2. O óleo CBD, quando ligado a esses receptores, ajuda o cérebro a produzir mais dopamina, que é conhecido por inibir os sintomas de Parkinson.

Um estudo realizado em 20171 mostrou que CBD consegue bloquear um receptor conhecido como GPR6, o qual atua prejudicando os movimentos em um paciente com Parkinson. Outro estudo ainda demonstrou resultados positivos e de melhora na qualidade de vida de pacientes com a doença sem nenhum outro distúrbio psiquiátrico.

Quais são os benefícios do uso do CBD para tratar o Parkinson?

O CBD está ganhando popularidade nos últimos tempos em termos de bem-estar e saúde. Os cientistas confirmam que ele pode ajudar com diferentes condições, como dores e ansiedade.

Alguns dos benefícios do uso do CBD para tratar o Parkinson incluem:

De acordo com um estudo recente, doses entre 75mg e 300mg de CBD mostraram-se muito eficazes no tratamento de distúrbios do sono, que é um dos efeito colaterais mais comuns da doença de Parkinson. Quando os pacientes têm um ciclo de sono melhorado, isso melhora a sua qualidade de vida.

Os sintomas psicológicos se desenvolvem conforme há o progresso da doença de Parkinson, com muitos pacientes experimentando alucinações. Já foi comprovado que uma pequena dose de CBD reduz essa ocorrência, o que ajuda muito na tutela da doença pelos pacientes.

Inflamações sustentadas no cérebro levam à perda de dopamina. Quando o CBD é usado para tratar das inflamações cerebrais, os níveis de dopamina aumentam. Uma pesquisa também mostra que a diminuição dessas inflamações retardam o progresso da doença.

O Parkinson é uma doença neurodegenerativa. O CBD atua significativamente como neuroprotetor e ainda como um poderoso antioxidante. Acredita-se que o estresse oxidativo seja uma das causas da doença de Parkinson.

O sistema endocanabinóide e a doença de Parkinson

O sistema endocanabinóide é um sistema modulador muito importante para os tecidos imunes, bem como nas funções endócrinas e cerebrais. Ele desempenha um papel importante na secreção dos hormônios relacionados à resposta do corpo ao estresse e a suas funções reprodutivas. Os dois receptores mais importantes desse sistema são conhecidos como CB1 e CB2.

Esse sistema é conhecido por modular uma grande variedade de funções fisiológicas de nossos corpos. Isso inclui o controle motor, de dores, do humor, comportamento alimentar e cognição. A doença de Parkinson afeta a maioria dessas funções corporais, o que significa que afeta diretamente o sistema endocanabinóide. Para que um paciente possa gerenciar os sintomas associados à doença de Parkinson, como falta de funções motoras, presença de dores, sono interrompido, etc, o sistema endocanabinóide deve sempre manter um desempenho máximo, caso contrário, o paciente irá apresentar os sintomas, tornando sua vida mais difícil de controlar. Portanto, o uso do CBD ajuda a melhorar os receptores do sistema, o que por sua vez, aumenta a funcionalidade geral do sistema endocanabinóide.

Como posso usar o CBD para tratar a doença de Parkinson?

Você pode incorporar o CBD para diminuir as sensações de dores. Outra maneira de usar o CBD na sua recuperação é o usando-o após um longo dia. O CBD pode ser usado como creme ou loção. Você pode aplicá-lo para aliviar a dor em parte do corpo ou como um alívio para os nervos.

Algumas gotas de óleo CBD ajudam a controlar instabilidades, tremores e até os movimentos lentos.

Seja para quem está usando o óleo de CBD pela primeira vez ou para os pacientes já com experiência, é importante seguir a dosagem certa indicada para o tratamento. Comece com pouco e vá aumentando gradualmente de acordo com seus sintomas e conforme for indicado pelo médico.

As cápsulas de CBD também estão disponíveis para uso em indivíduos com doença de Parkinson, então siga a dosagem correta e consulte o seu médico para ter certeza se esse método funciona para você. Lembre-se de que cada indivíduo tem as suas diferenças, portanto a reação será diferente de pessoa para pessoa, mesmo que os sintomas sejam os mesmos. Todavia, comece devagar e veja como seu corpo responde ao óleo CBD.

Para tomar o óleo CBD por via oral, mantenha-o embaixo da língua por alguns segundos antes de engolir. Outras alternativas orais pelas quais você pode consumir o óleo CBD são alimentos comestíveis, como barras de chocolate e chiclete.

O que os últimos estudos estão dizendo sobre o uso de CBD para o Parkinson?

Ao longo dos anos, estudos demonstraram que o diagnóstico precoce de Parkinson pode levar a um controle mais amplo da doença ao longo do tempo. Além disso, os pesquisadores continuam a desenvolver novos tipos de tratamentos para aqueles que sofrem da doença de Parkinson. Alguns dos tratamento descobertos mais recentemente incluem terapia gênica, uso de células-tronco e o transplante de células fetais.

Até agora, a ciência fez progressos notáveis. Os cientistas dizem que há esperança de que a causa, seja esta ambiental ou genérica, possa ser identificada e que seus efeitos sobre a funcionalidade do cérebro sejam finalmente compreendidos.

Referências

  1. Peres, Fernanda F., et al. „Cannabidiol as a promising strategy to treat and prevent movement disorders?.“ Frontiers in pharmacology 9 (2018). []

Connect with CBD users on Facebook
Do you want to benefit from the experience of other CBD users? Do you have questions about CBD? Check out this active CBD group on Facebook.

About The Author

Alyssha Bal

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *