cbd-cancro-pele
18 min.

O Cancro é umas das doenças mais sérias que afeta seres humanos e animais nas últimas décadas. Felizmente, existem vários tratamentos alternativos e suplementos que ajudam a combater esta doença. De acordo com estudos, o CBD é um dos tratamentos mais marcantes para aliviar os sintomas do cancro, sem nenhum efeito colateral, que você pode encontrar.

Tratamento do CBD para o Cancro

Um composto extraído do cânhamo e planta da maconha, o Cannabidiol (CBD) é comprovadamente crucial na luta contra o cancro e tumores. A planta da maconha, de onde o CBD é extraído, é compartilhada e usada para tratamentos em diferentes culturas ao longo dos séculos. Desde a medicina tradicional Chinesa até os Gregos, Indianos Ayurvedic e mais, essa erva se estabeleceu como um medicamento ao redor do mundo. O óleo de CBD para o cancro aparece como uma auxílio para a humanidade. Esta medicina é fundamental pois basicamente possui um resultado positivo através da sua interação com o sistema endocannabinoide. Por conta disso o CBD consegue manter o balanceamento do corpo humano e suas propriedades.

A interação do CBD com os receptores endocannabinoides

O sistema endocannabinoide possui dois receptores primários: Cannabinoide 1 (CBD1) e Cannabinoide 2 (CBD2). De acordo com estudos, o CBD1 está presente no cérebro e no sistema nervosa central. Já o CBD2, se encontra presente no sistema imunológico e em algumas outras estruturas1.

Estes receptores endocannabinoides vão responder de maneira diferente de acordo com o tipo de cannabinoide. Por acaso, o THC tem mais afinidade com o CBD1, mas pode também ser muito trabalhado pelo CBD2, ou seja, ele afeta os dois tipos de cannabinoides.

Por outro lado, o CBD atua indiretamente com este cannabinoide que apenas impulsiona ele ao invés de uma conexão direta. O que quer dizer que o THC, por exemplo, tem uma conexão maior com o CBD1, mas também consegue atuar no CBD2, mas apenas como um acelerador.

O CBD não atua apenas com estes dois receptores no corpo humano. Um outro exemplo é o  5-HT1A receptor, normalmente relacionado com o receptor Vanilloide TRPV1 e a serotonina2. Importante dizer que este receptor entra no corpo como um ion. Essencialmente, o CBD ajuda em diferentes funções desde a homeostasias até funções mais secundárias.

CBD para tratamento específico do cancro

Quando se trata do uso do CBD no tratamento do cancro, essa substância provou ser essencial para lidar com vários de seus tipos. Pode ser usado para cancro de pulmão, leucemia, cancro de pele, tumores ou outros tipos de cancro. O CBD pode ajudar a controlar a propagação da doença, reduzindo-a completamente.

+ Cancro de Mama

Segundo um estudo, publicado no Journal of Pharmacology and Experimental Therapeutics, o CBD ajuda a combater o cancro de mama3.

Isso se reduz à eficiência antitumoral dos canabinóides, graças aos efeitos do canabidiol no carcinoma da mama humana. O CBD coordena a comunicação entre apoptose e autofagia, aumentando a morte celular programada em células de cancro de mama. De acordo com outro estudo, o CBD ajuda em muitas outras maneiras de reduzir e erradicar o cancro de mama4.

+ Cancro de Bexiga

Estudos também mostram que o CBD combate o Cancro de Bexiga. A ativação do TRPV22, por exemplo, desencadeia a morte celular por apoptose do T24 da bexiga em humanos5. Além disso, estudos mostram que o CBD tem o potencial de tratar doenças linfoblásticas. Isso inclui linfoma e leucemia6. CBD é comprovadamente capaz de promover o suicídio de células linfomicas cancerígenas, mais conhecido como apoptose. Na verdade, o CBD se comunica com os receptores CBD2 para diminuir o risco da formação de celular cancerígenas7.

+ Cancro de Colo

Análises científicas apontam que o CBD consegue prevenir o cancro de colo8.
Apesar de baseado em resultados preliminares, esta sugestão merece um olhar crítico.  De acordo com estudos, o CBD mostra potencial de reduzir consideravelmente qualquer desenvolvimento de ameaças cancerígenas normalmente encontradas no cancro de colo.

Alguns desses caracteres incluem “”glândulas anormais no reto e cólon”” – focos de cripta aberrantes. Além disso, o estudo mostra que a capacidade do CBD de reduzir qualquer tipo de tumor e pólipos.

+ Cancro no Cérebro

Um estudo do Journal Pharmacology and Experimental Therapeutics9 está investigando se o CBD inibe o crescimento de células tumorais cerebrais. No estudo, os ratos receberam uma dose de 0,5 mg e foi observado o crescimento de células de glioma U87 humano implantadas. O resultado foi uma atividade antitumoral significativa causada pelo canabidiol.

+Cancro de Pulmão

Em fevereiro de 2019, um estudo de caso em que um paciente tratou um adenocarcinoma de pulmão com CBD atraiu a atenção devido aos surpreendentes resultados alcançados10. O tumor no pulmão diminuiu significativamente. Um estudo anterior fornece indicações de como esse efeito ocorre. O papel dos receptores COX-2 e PPAR-γ na apoptose induzida por CBD (“programa de suicídio” de células biológicas) de células de cancro de pulmão foi investigado em mais detalhes11 .

Uso de CBD durante quimioterapia

Um artigo publicado em 2013 na revista Carcinogenesis12 descreve que o CBD torna o glioblastoma, o tumor cerebral maligno mais comum em adultos, mais suscetível à quimioterapia. O CBD aumenta a atividade do TRPV2, o que aumenta a capacidade das células de glioma de absorver agentes quimioterapêuticos. Ao mesmo tempo, não houve efeito nos astrócitos normais do corpo.

Um ano depois, outro estudo publicado no British Journal of Pharmacology concluiu que o CBD neutraliza a dor neuropática sem afetar adversamente a função do sistema nervoso ou a eficácia da quimioterapia13.

Uma das tarefas mais importantes do óleo CBD no tratamento do cancro pode ser o possível alívio dos efeitos colaterais da quimioterapia. O CBD pode minimizar os efeitos colaterais indesejáveis da quimioterapia, como náusea, dor crônica e vômito. Os canabinóides sintéticos aprovados pela FDA já se mostraram úteis no tratamento.

Em geral, os canabinóides sintéticos administrados por via oral, como o dronabinol14 e a nabilona15, mostraram domínio sobre os antagonistas dos receptores da dopamina. Esse desempenho os torna indispensáveis na prevenção do CINV.

O tratamento com CBD para cães com cancro (e também outros animais de estimação)

Pesquisas mostram que o tratamento com CBD para o cancro não funciona apenas em humanos, mas também em animais de estimação16. Os cães podem sofrer de diferentes tipos de cancro. Estes incluem cancro de pele, que é bastante comum em cães. Outros tipos de cancro comumente encontrados em cães incluem cancro de glândula mamária para cadelas, além de cancro de cabeça e pescoço. Os cães também costumam ser vítimas de cancro de boca, o que precisa de ação rápida.

Os estudos citados neste artigo sugerem que o CBD pode ser útil no combate ao crescimento de células cancerígenas. Embora a maioria dos estudos que investigam essa abordagem seja preliminar, eles mostram resultados interessantes. O CBD e outros componentes das plantas de cannabis e cânhamo também podem ter o potencial de combater o cancro e seus sintomas em animais de fazenda e animais de estimação.

Os animais de estimação precisam enfrentar os efeitos colaterais da quimioterapia, assim como os humanos. O CBD pode aliviar os sintomas gastrointestinais de náusea e vômito que ocorrem em humanos e animais. Indiretamente, poderia ajudar os animais de estimação a recuperar o apetite17, o que geralmente é um problema no tratamento do cancro. Sem mencionar o CBD também pode ajudar a aliviar a inflamação e a dor geralmente causada pelo cancro18.

Segundo outros estudos, o extrato com CBD mostrou efeitos antitumorais claros. Também atuou sobre os efeitos de um produto químico usado na indução de cancro em pesquisas biológicas – o azoximetano. Em outro estudo19, o CBD também mostrou a capacidade de retardar o desenvolvimento de tumores no cérebro. Pesquisadores do Departamento de Medicina Experimental da Universidade de Camerino, na Itália, conduziram o estudo. No estudo, o CBD também provou retardar o crescimento de células cancerígenas e enfraquecer as existentes. Isso deu aos quimioterápicos uma vantagem sobre as células cancerígenas. Desempenho semelhante ao CBD também surgiu em estudos sobre outros tipos de cancro. Estes incluem cancro de bexiga, leucemia, linfoma e muitos mais. Para mais informações sobre o uso do CBD para o seu cão, veja o vídeo abaixo. Você também pode ler nosso post sobre o CBD para animais.

Conclusão

Existem inúmeros estudos sobre o óleo CBD para uso em cancro. Já em 1975, os pesquisadores investigaram a maconha como uma possível droga para o tratamento do cancro. Apesar das restrições legais, a ciência descobriu evidências interessantes do efeito positivo da planta em pacientes com cancro. Outro aspecto importante do CBD é que ele não pode induzir efeitos psicoativos em pacientes. Isso o distingue de outros canabinóides na planta do cânhamo.

De acordo com os resultados da pesquisa citados, o CBD poderia apoiar várias áreas do tratamento do cancro. Estudos mostraram, entre outras coisas, que o CBD desencadeia a morte celular (apoptose) nas células cancerígenas, mas não afeta as células saudáveis. Também mostra potencial para impedir a migração de células cancerígenas. Também são suspeitas propriedades antiangiogênicas20. Isso poderia impedir a formação de novos vasos sanguíneos e piorar a nutrição dos tumores, tornando menos provável a metástase. Acima de tudo, poderia reduzir a invasão do cancro.

Canabinóides como tetra-hidrocanabinol, endocanabinóides e agonistas sintéticos, bem como o transporte de endocanabinóides têm demonstrado efeitos antitumorais21. Há evidências de que os canabinóides são pró-apoptóticos (apoptose é o processo de morte celular que ocorre em organismos multicelulares). Segundo os estudos, os canabinóides também têm um efeito antiproliferativo, o que significa que os canabinóides também diminuem o crescimento e a propagação das células cancerígenas. Esses efeitos combatem a migração, invasão e adesão celular.

No entanto, estudos parecem indicar que essa opção também possui certas desvantagens. Isso inclui limitar o uso de agonistas canabinóides devido a efeitos colaterais psicoativos. Por exemplo, compostos canabinóides não psicoativos têm uma afinidade estrutural com o CBD.

O CBD também pode ajudar a regular os sinais pró-angiogênicos das células do glioma22. Estudos mostram que os canabinóides podem ter uma ampla gama de efeitos anticarcinogênicos. Segundo um relatório do Instituto Nacional do Cancro sobre os efeitos antitumorais, esses canabinóides podem ajudar a inibir o crescimento das células cancerígenas.

Graças a essa combinação de efeitos diferentes, o CBD pode ter uma vantagem em relação a muitas outras abordagens ao tratamento do cancro. Além disso, os métodos convencionais de terapia contra cancro geralmente apresentam efeitos colaterais significativos. O CBD também pode ter um efeito favorável no tratamento convencional do cancro e reduzir os efeitos colaterais. Estes incluem náusea e vômito da quimioterapia.

O CBD pode ser benéfico no cancro de pele, cancro de mama, cancro de bexiga, leucemia, linfoma e muito mais para humanos e animais. Ainda há muito o que os pesquisadores precisam descobrir sobre cannabis e óleo de CBD para tratamento de cancro. Muitos estão muito otimistas de que os medicamentos à base de cannabis serão usados com mais frequência no tratamento do cancro no futuro.

CBD para Cancro- Depoimentos de Clientes *


Já comprei duas vezes para o meu pai …⭐⭐⭐⭐⭐

Eu já pedi 2x para o meu pai. Ele tem cancro de rim e estava muito deprimido durante o primeiro ciclo de tratamento e não tinha apetite. Primeiro, começamos com 5% como teste, que funcionou bem. Em breve, ele começará a tomar os 10% com curcumina. Estou curioso sobre como ele reagirá a isso. Entrega rápida, atendimento ao cliente muito bom. Sempre prestativos. Muito obrigado à equipe Nordic Oil.

Depoimento de M. Rosenlund via Trustpilot 


Entrega muito rápida. ⭐⭐⭐⭐⭐

“Tomo as cápsulas preventivamente porque tive cancro de mama e de pele. O estresse não me afeta tanto, como sem as cápsulas! Elas me fazem bem, me sinto ótima! ”

Depoimento de S. Daboci via Trustpilot 


Comprei para o meu pai ⭐⭐⭐⭐⭐

Comprei para o meu pai, que foi afetado por um cancro e, após cerca de 14 dias, ele pôde parar com os analgésicos, ele estava muito feliz com isso, ele conseguiu usá-lo por cerca de 8 meses antes do cancro vencer. Definitivamente algo que eu mesma usaria se necessário.

Depoimeto de M. Rosenlund via Trustpilot

*Depoimentos referentes aos produtos de CBD da Nordic Oil.

Referências

  1. Bisogno, Tiziana, and Vincenzo Di Marzo. „Cannabinoid receptors and endocannabinoids: role in neuroinflammatory and neurodegenerative disorders.“ CNS & Neurological Disorders-Drug Targets (Formerly Current Drug Targets-CNS & Neurological Disorders) 9.5 (2010): 564-573.  []
  2. Linge, Raquel, et al. „Cannabidiol induces rapid-acting antidepressant-like effects and enhances cortical 5-HT/glutamate neurotransmission: role of 5-HT1A receptors.“ Neuropharmacology 103 (2016): 16-26. []
  3. Ligresti, A., Moriello, A., Starowicz, K., Matias, I., Pisanti, S., De Petrocellis, L., Laezza, C., Portella, G., Bifulco, M. and Di Marzo, V. (2006). Antitumor Activity of Plant Cannabinoids with Emphasis on the Effect of Cannabidiol on Human Breast Carcinoma. Journal of Pharmacology and Experimental Therapeutics, 318(3), pp.1375-1387.  []
  4. Shrivastava, Ashutosh, et al. „Cannabidiol induces programmed cell death in breast cancer cells by coordinating the cross-talk between apoptosis and autophagy.“ Molecular cancer therapeutics 10.7 (2011): 1161-1172 []
  5. Yamada, Takahiro, et al. „TRPV2 activation induces apoptotic cell death in human T24 bladder cancer cells: a potential therapeutic target for bladder cancer.“ Urology 76.2 (2010): 509-e1. []
  6. Massi, Paola, et al. „Cannabidiol as potential anticancer drug.“ British journal of clinical pharmacology 75.2 (2013): 303-312. []
  7. ((McKallip, Robert J., et al. „Cannabidiol-induced apoptosis in human leukemia cells: a novel role of cannabidiol in the regulation of p22phox and Nox4 expression.“ Molecular Pharmacology 70.3 (2006): 897-908. []
  8. Aviello, Gabriella, et al. „Chemopreventive effect of the non-psychotropic phytocannabinoid cannabidiol on experimental colon cancer.“ Journal of molecular medicine 90.8 (2012): 925-934. []
  9. Massi, Paola, et al. „Antitumor effects of cannabidiol, a nonpsychoactive cannabinoid, on human glioma cell lines.“ Journal of Pharmacology and Experimental Therapeutics 308.3 (2004): 838-845 []
  10. ulé-Suso, Josep, et al. „Striking lung cancer response to self-administration of cannabidiol: A case report and literature review.“ SAGE open medical case reports 7 (2019): 2050313X19832160. []
  11. Ramer, Robert, et al. „COX-2 and PPAR-γ confer cannabidiol-induced apoptosis of human lung cancer cells.“ Molecular Cancer Therapeutics 12.1 (2013): 69-82 []
  12. Nabissi, Massimo, et al. „Triggering of the TRPV2 channel by cannabidiol sensitizes glioblastoma cells to cytotoxic chemotherapeutic agents.“ Carcinogenesis 34.1 (2012): 48-57. []
  13. Ward, Sara Jane, et al. „Cannabidiol inhibits paclitaxel‐induced neuropathic pain through 5‐HT1A receptors without diminishing nervous system function or chemotherapy efficacy.“ British journal of pharmacology 171.3 (2014): 636-645 []
  14. Meiri, Eyal, et al. „Efficacy of dronabinol alone and in combination with ondansetron versus ondansetron alone for delayed chemotherapy-induced nausea and vomiting.“ Current medical research and opinion 23.3 (2007): 533-543. []
  15. Ware, Mark A., Paul Daeninck, and Vincent Maida. „A review of nabilone in the treatment of chemotherapy-induced nausea and vomiting.“ Therapeutics and clinical risk management 4.1 (2008): 99. []
  16. Samara, E. M. I. L., M. E. I. R. Bialer, and R. A. P. H. A. E. L. Mechoulam. „Pharmacokinetics of cannabidiol in dogs.“ Drug metabolism and disposition 16.3 (1988): 469-472. []
  17. Fride, Ester, Tatyana Bregman, and Tim C. Kirkham. „Endocannabinoids and food intake: newborn suckling and appetite regulation in adulthood.“ Experimental Biology and Medicine 230.4 (2005): 225-234 []
  18. Nagarkatti, Prakash, et al. „Cannabinoids as novel anti-inflammatory drugs.“ Future medicinal chemistry 1.7 (2009): 1333-1349 []
  19. Anju Preet, Ramesh Ganju and Jerome Groopman. Δ-9 Tetrahydrocannabinol inhibits growth and metastasis of lung cancer. Cancer Research: Experimental and Molecular Therapeutics, May 2007, 67, 9 []
  20. Sulé-Suso, Josep, et al. „Striking lung cancer response to self-administration of cannabidiol: A case report and literature review.“ SAGE open medical case reports 7 (2019): 2050313X19832160. []
  21. Hermanson, Daniel J., and Lawrence J. Marnett. „Cannabinoids, endocannabinoids, and cancer.“ Cancer and metastasis reviews30.3-4 (2011): 599-612. []
  22. Shrivastava, Ashutosh, et al. „Cannabidiol induces programmed cell death in breast cancer cells by coordinating the cross-talk between apoptosis and autophagy.“ Molecular cancer therapeutics 10.7 (2011): 1161-1172. []

Connect with CBD users on Facebook
Do you want to benefit from the experience of other CBD users? Do you have questions about CBD? Check out this active CBD group on Facebook.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *