7 min.

Update:

O que é esclerose múltipla?

A esclerose múltipla (EM) é uma doença neurológica autoimune que afeta o sistema nervoso central. Esta doença crônica e progressivamente debilitante é uma das doenças autoimunes mais comuns que afeta adultos jovens e idosos.

A maneira como esta doença ataca progressivamente o corpo, dificulta a vida dos pacientes uma vida normal. Eles acabam precisando de ajuda e cuidados constantes e são incapazes de trabalhar. Para muitos pacientes com esclerose múltipla, a espasticidade contribui para o impedimento de uma qualidade de vida, juntamente com espasmos que enfraquecem os músculos e enrijecem as extremidades.

Sintomas comuns da esclerose múltipla

  • Mobilidade restrita
  • Fadiga
  • Dor
  • Deficiência sensorial
  • Paralisia
  • Bexiga não funcional
  • Espasticidade

Como o CBD pode ajudar a tratar a esclerose múltipla?

CBD e THC são os dois produtos químicos biológicos ativos nos canabinóides. O THC é o produto químico psicoativo encontrado na maconha. O CBD não é psicoativo, portanto, não faz você se sentir colocado. É (na maioria dos países) uma substância legal que tem ajudado pacientes com esclerose múltipla e outras doenças.

CBD e THC são substâncias nas quais foram encontradas propriedades terapêuticas em relação à Esclerose Múltipla1 2. Essas propriedades são o que pode ajudar na mobilidade e redução da dor. O óleo CBD provou ser uma substância anti-inflamatória3 e antipsicótica4. Isso pode ajudar com a dor e também com a depressão que a esclerose múltipla traz. O óleo CBD fornece um tratamento que pode ajudar com desconforto abdominal e espasticidade muscular. O paciente com esclerose múltipla e o apresentador de TV americano Montel Williams usa cannabis medicinal para tratar seus sintomas de esclerose múltipla. Agora, ele é um fervoroso promotor da cannabis medicinal e vem falando sobre a legalização e aceitação do CBD há décadas. É um movimento que vem ganhando força na comunidade dos EM nos últimos anos.

Quais são os benefícios do uso do CBD para Esclerose Múltipla?

O uso do CBD para tratar os sintomas da esclerose múltipla pode melhorar a qualidade de vida da maioria dos pacientes. Um estudo publicado em 2013 na revista “Neurobiology of Disease” aborda esse tópico. Confirma a proteção duradoura do canabidiol (CBD) contra os efeitos nocivos da inflamação em um modelo viral de esclerose múltipla5. Com o uso regular, os espasmos podem ser reduzidos por um efeito antiespasmódico do CBD.

O uso do CBD na esclerose múltipla está crescendo em popularidade devido à maneira como os pacientes geralmente se sentem melhor ao usá-lo. Muitos países ao redor do mundo fizeram o uso de CBD medicinal legal e controlado.

Existem efeitos colaterais no uso de CBD contra a esclerose múltipla?

O CBD é um produto químico natural e seguro, uma substância com poucos efeitos colaterais6. No entanto, como qualquer tratamento, alguns pacientes sentem efeitos colaterais. Alguns dos efeitos colaterais incluem boca seca, pressão arterial baixa, baixa concentração e clareza.

Felizmente, beber grandes quantidades de água pode ajudar com a situação de boca seca. Com doses altas, o CBD pode reduzir a produtividade de outros medicamentos, pois afeta as enzimas hepáticas. Isso é considerado um efeito colateral, mas pode ser corrigido por um ajuste apropriado das quantidades de CBD.

Artigo relacionado: Efeitos Colaterias do CBD

Qual é a dose ideal de CBD para esclerose múltipla?

Cada pessoa é única e a reação de todos ao CBD é diferente.

Com base no guia do livro de Leinow & Birnbaum “CBD: Um guia do paciente para a cannabis medicinal”7, recomendamos o método Step-Up, no qual você aumenta gradualmente a dose até alcançar os resultados desejados. Leinow & Birnbaum recomendam começar com uma dose padrão para esclerose múltipla. Com cuidado, a dosagem pode ser aumentada para uma dose macro. Para saber mais sobre as diferentes doses e como tomar o seu óleo CBD corretamente, leia nosso artigo Dosagem de CBD.

Como o CBD pode ser administrado?

Existem vários métodos pelos quais o CBD pode ser administrado. O mais comum é a administração de óleo CBD com um conta-gotas, mas também existem extratos e cápsulas de CBD. Alguns pacientes preferem vaporizá-lo ou inalar CBD líquido com cigarros eletrônicos. Por sua vez, existem cremes e bálsamos que contêm óleo CBD no produto e ajudam a aliviar dores musculares e articulares.

O que dizem os estudos científicos sobre o uso de CBD contra a EM?

Muitos dados clínicos e pré-clínicos mostram que os medicamentos à base de canabinóides reduzem os sintomas de espasticidade na EM e em outras doenças neurodegenerativas8.

Outro estudo9 foi realizado para investigar os efeitos do tratamento da cannabis na dor neuropática. Os pacientes de ambos os grupos receberam sprays orais como placebos ou CBD por várias semanas. A maioria dos pacientes que receberam CBD apresentou menos dor que os outros.

CBD para EM- Depoimento de clientes *

Só posso dar à Nordic Oil a melhor pontuação ⭐⭐⭐⭐⭐

“Tudo o que posso fazer é dar à Nordic Oil a pontuação mais alta. O óleo de cânhamo CBD me ajuda a suportar minha EM com menos dor. Os produtos são absolutamente de alta qualidade, o atendimento ao cliente é muito amigável e competente. ”

Depoimento de Robert M. via Trustpilot

Referências

  1. ox, P., et al. „The effect of cannabis on tremor in patients with multiple sclerosis.“ Neurology 62.7 (2004): 1105-1109  []
  2. Consroe, Paul, et al. „The perceived effects of smoked cannabis on patients with multiple sclerosis.“ European neurology 38.1 (1997): 44-48 []
  3. Costa, Barbara, et al. „The non-psychoactive cannabis constituent cannabidiol is an orally effective therapeutic agent in rat chronic inflammatory and neuropathic pain.“ European journal of pharmacology 556.1-3 (2007): 75-83.  []
  4. Nagarkatti, Prakash, et al. „Cannabinoids as novel anti-inflammatory drugs.“ Future medicinal chemistry 1.7 (2009): 1333-1349 []
  5. Mecha, M., et al. „Cannabidiol provides long-lasting protection against the deleterious effects of inflammation in a viral model of multiple sclerosis: a role for A2A receptors.“ Neurobiology of disease 59 (2013): 141-150 []
  6. Iffland, Kerstin, and Franjo Grotenhermen. „An update on safety and side effects of cannabidiol: a review of clinical data and relevant animal studies.“ Cannabis and cannabinoid research2.1 (2017): 139-154.  []
  7. Leinow,, L. and Birnbaum, J. (2017). CBD: A Patient’s Guide to Medicinal Cannabis. North Atlantic Books. []
  8. Valerio Chiurchiù, Mario van der Stelt, Diego Centonze, Mauro Maccarrone, The endocannabinoid system and its therapeutic exploitation in multiple sclerosis: Clues for other neuroinflammatory diseases, Progress in Neurobiology []
  9. Langford, R. M., et al. „A double-blind, randomized, placebo-controlled, parallel-group study of THC/CBD oromucosal spray in combination with the existing treatment regimen, in the relief of central neuropathic pain in patients with multiple sclerosis.“ Journal of neurology 260.4 (2013): 984-997. []

Connect with CBD users on Facebook
Do you want to benefit from the experience of other CBD users? Do you have questions about CBD? Check out this active CBD group on Facebook.

About The Author

Alyssha Bal

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *