virus 1812092 640
4 min.

✓ Evidence Based


5/5 - (2)
Última actualização em 3 Setembro 2021

A hepatite é uma condição definida pela inflamação do fígado. A doença é causada principalmente por uma infecção viral, embora existam outras causas prováveis ​​que incluem o consumo de substâncias tóxicas, por exemplo, álcool, drogas ou medicamentos e doenças autoimunes.

É uma doença inflamatória auto-imune crônica, genética e não-contagiosa, na qual o sistema imunológico ataca as células hepáticas saudáveis ​​e com funcionamento normal. A hepatite pode causar cirrose hepática, insuficiência hepática ou até câncer.

Sundt
10B5D577-0EEA-44A1-B642-6184F85A42BA
82787C01-82C1-48EF-8A46-BFB0759ED992 A N O R D I C O I L C O M P A N Y

A hepatite infecciosa contagiosa é transmitida principalmente quando uma pessoa não infectada ingere água ou alimentos contaminados com as fezes de um indivíduo infectado. Também pode se espalhar quando o sangue, sêmen ou qualquer outro fluido corporal de uma pessoa infectada é transmitido a uma pessoa não infectada. Existem cinco tipos desta infecção. O tipo de hepatite D ocorre apenas quando a hepatite B está presente.

Por que o CBD funciona para tratar a hepatite?

Nos últimos anos, o canabidiol (CBD) provou ser eficaz no tratamento de muitas variedades de doenças em laboratórios e ensaios clínicos. De acordo com um estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Carolina do Sul1, o CBD pode ser usado como tratamento para hepatite. O CBD interage com os receptores endocanabinóides em nossos corpos para oferecer alívio dos sintomas da hepatite nas hepatites autoimune e viral.

A pesquisa revelou que os receptores podem ser ativados para reduzir a inflamação do fígado que interrompe a cicatrização do fígado. Por exemplo, quando os canabinóides aderem ao receptor CB2, ajudam a reduzir a inflamação hepática gordurosa e também promovem a regeneração. O CBD ajuda a aliviar a dor da doença hepática e os efeitos colaterais causados pelo tratamento.

Quais são os benefícios do uso do CBD no tratamento da hepatite?

O uso do óleo CBD como forma de tratar a hepatite tem vários benefícios. O CBD protege o fígado de lesões agudas. Um teste realizado em camundongos2 revelou o efeito do tratamento da hepatite com CBD. Os resultados mostraram uma diminuição na lesão hepática.

Outro estudo que utilizou esse método3 revelou que o CBD tem impacto direto nas citocinas pró-inflamatórias. O CBD suprime citocinas inflamatórias que protegem contra danos. Isso aumenta a durabilidade dos tecidos do fígado, portanto, uma filtragem contínua de resíduos e toxinas do sangue.

O CBD também é conhecido por ser um excelente antioxidante4. A oxidação é um processo prejudicial que ocorre como subproduto quando as enzimas hepáticas quebram a substância indesejada encontrada no sangue. Antioxidantes como o CBD ajudam a prevenir a oxidação. O fígado humano digere as moléculas encontradas no sangue e inicia o processo de degradação no qual os rins acabam produzindo urina. O processo cria radicais livres conhecidos como oxidantes. Esses radicais podem causar danos às células humanas através da inflamação devido à sua reatividade.

O uso do CBD ajuda a quebrar esses compostos perigosos que podem reagir com moles ou filamentos cruciais de DNA. Quando o CBD se liga aos radicais livres, ajuda a evitar qualquer dano que possa surgir da ligação a importantes estruturas celulares. Os radicais livres se acumulam ao redor do fígado e exercem pressão sobre as células do fígado. Os canabinóides, portanto, atuam como um protetor entre o fígado e o perigo causado por subprodutos.

Quais são os efeitos colaterais do uso do CBD no tratamento da hepatite?

O CBD é geralmente considerado seguro5. No entanto, as pessoas podem experimentar alguns efeitos colaterais. Isso pode incluir náusea, diarréia, sonolência, alteração no apetite e boca seca. Embora os sintomas sejam raros, é importante ser informado, por isso compilamos um guia completo sobre os possíveis efeitos colaterais do CBD.

Dose de CBD para hepatite

Cada pessoa requer uma dose específica e personalizada, determinada por diferentes fatores de saúde. O médico que verifica a saúde de uma pessoa pode oferecer conselhos sobre a quantidade de CBD apropriada para uso. Outra maneira de identificar a melhor dose é experimentar. No entanto, é preciso começar com o nível mais baixo de uma dose.

Recomendamos seguir o método surpreendente descrito no livro “Guia do paciente para a cannabis medicinal”, de Leonard Leinow e Juliana Birnbaum6.

Para saber como dosar corretamente seu CBD, leia nosso post sobre a dose de CBD.

Como posso usar o CBD para tratar a hepatite?

O óleo CBD é consumido por via oral, colocando gotas sob a língua e mantendo-o até que seja completamente absorvido. É importante não engoli-lo imediatamente, mas espere que seja absorvido. Isso facilita a digestão e absorção. Você também pode tomá-lo em cápsulas ou misturá-lo com uma bebida.

Outros métodos de tomar óleo de CBD é vaporizando-o. Pode ser tomado com um vaporizador. Este método é um dos mais rápidos e tem um efeito instantâneo. No entanto, não fume se você tiver asma ou qualquer outra doença pulmonar ou se você é iniciante, pois pode ser demais para o seu corpo no início devido à sua função instantânea.

Referências

 
  1. Nagarkatti, M. and Nagarkatti, P. (2018). Research leads to potential treatment for rare disease. [online] University of South Carolina. Available at: https://www.sc.edu/uofsc/posts/2018/07/nagarkattis_research_autoimmune_hepatitis.php#.XXYAKSgzaUl []
  2. Wang, Y., Mukhopadhyay, P., Cao, Z., Wang, H., Feng, D., Haskó, G., Mechoulam, R., Gao, B. and Pacher, P. (2017). Cannabidiol attenuates alcohol-induced liver steatosis, metabolic dysregulation, inflammation and neutrophil-mediated injury. Scientific Reports, 7(1). []
  3. Hammell, D., Zhang, L., Ma, F., Abshire, S., McIlwrath, S., Stinchcomb, A. and Westlund, K. (2015). Transdermal cannabidiol reduces inflammation and pain-related behaviours in a rat model of arthritis. European Journal of Pain, 20(6), pp.936-948. []
  4. Hampson, A., Grimaldi, M., Axelrod, J. and Wink, D. (1998). Cannabidiol and (-) 9-tetrahydrocannabinol are neuroprotective antioxidants. Proceedings of the National Academy of Sciences, 95(14), pp.8268-8273. []
  5. Expert Committee on Drug Dependence (2018). CANNABIDIOL (CBD). [online] World Health Organization []
  6. Leinow,, L. and Birnbaum, J. (2017). CBD: A Patient’s Guide to Medicinal Cannabis. North Atlantic Books. []

Autor

Especialista em CBD | Ver os postos

Com quase duas décadas de sucesso na indústria de mídia, eu sentia certamente que me faltava uma peça em meu quebra-cabeça da vida. Fiz uma pausa e me propus a buscar o propósito de minha vida. Viajei pelo mundo, deixei as coisas fluir na vida sem resistir, e após cinco anos desafiadores, encontrei meu ritmo. Adoro escrever sobre Cannabis e Saúde e dar meu melhor para simplificar conceitos esotéricos em idéias simples para a vida.

Paula Stipp
Paula Stipp
Tradutora | Ver os postos

Nascida em São Paulo, Brasil, Paula é formada em Publicidade e Propaganda e hoje mora em Munique, Alemanha. Começou sua jornada com o CBD há quase dois anos. Além de sempre se atualizar sobre as novidades do CBD, Paula também compartilha sua experiência com seus clientes de Portugal e do Brasil.

Conecte-se com usuários de CBD no Facebook

Quer saber mais da experiência de outros usuários do CBD? Você tem perguntas sobre o CBD? Há um grupo ativo de CBD no Facebook.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

eight − 4 =